Surpresa! Crianças também têm comunidades virais

Surpresa! Crianças também têm comunidades virais

 

“artigo retirado do AVG Official Blogs”

por Tony Anscombe

Como pai, eu penso bastante sobre quem pode estar influenciando meus filhos. De filmes, músicas e anunciantes, até aquele tio cujo humor nem sempre é de idade apropriada.

 

Mas ande em qualquer playground e você vai ver rapidamente que a maior influência para as crianças são as outras crianças. Na saída da escola, todas as pequenas comunidades se reúnem. Em alguns cantos, eles estão mostrando seus LEGOS. Em outros, eles estão imitando alguma dança que viram na MTV. E por todo canto eles estão falando, falando, falando.

 

Claro que LEGO e MTV são fundamentalmente os influenciadores neste caso. Mas são as próprias crianças que introduzem as últimas sensações ao outro. E eles não estão falando apenas sobre quais filmes devem assistir ou sobre quais jogos devem comprar. Eles estão discutindo coisas que eles ou alguém que conhecem encontram na internet. Se eles estão todos conectados à internet ou não, o seu conteúdo é transmitido por ela.

 

Eu falei recentemente com uma professora da segunda série, e sabe quantos dos seus alunos tem um telefone celular? 50 por cento. Se esses são dispositivos habilitados para web de forma insegura, metade da classe pode ter acesso à Internet ali mesmo na escola… E este conteúdo da web poderia estar fazendo o seu caminho para a outra metade.

 

Isto pode ser um pouco preocupante para aqueles de nós que fazemos tudo o que podemos para controlar a exposição dos nossos filhos na web, mas não deveria. Isso significa apenas que ser um pai na era digital de hoje não se trata apenas de controle. Se trata também de fornecer o tipo de orientação para quando nossas crianças estão fora do nosso controle.

 

Isso não quer dizer que o software de segurança voltado para a segurança da família não é uma obrigação. Ou que ainda não devemos monitorar o uso das nossas crianças na web. Mas também precisamos lembrar que nós não somos os únicos que influenciam as nossas crianças. E ao invés de tentar ignorar este fato, devemos ajudar a orientar nossas crianças como o mundo em torno delas tenta moldar suas vidas.

 

A hora para falar com as crianças sobre a Internet não é quando elas estão realmente conectadas. É agora. Deixe-as saber que a web pode ser um lugar perigoso. Deixe-as saber que crianças não deveriam usá-la sem supervisão. Mas também, as deixe saber que você não está lá apenas para ajudá-la a entender as coisas na web, mas também para desfrutar as suas experiências positivas com a internet.

 

Como você conversa com seus filhos sobre a web? Vamos falar sobre isso aqui, no Twitter ou no Facebook .

 

Imagem de Paulo Mayne usada sob licença da Creative Commons.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *