Facebook lança o Graph Search: Hora de Comemorar

Facebook lança o Graph Search: Hora de Comemorar

“artigo retirado do AVG Official Blogs”

por Siobhan MacDermott

 

Em 15 de janeiro, quando o Facebook anunciou a versão beta de sua função “Graph Search” (Busca Social), uma ferramenta exclusiva para a estruturação de pesquisas on-line, Mark Zuckerberg explicou como a função é diferente de uma pesquisa na web tradicional. “Nós não estamos indexando a web. Nós estamos indexando o nosso mapa de gráfico, que é muito grande e em constante mudança. Quase um milhão de novas pessoas a cada dia. 240 bilhões de fotos. 1 bilhão de pessoas. 1 trilhão de conexões. ”

 

Em 8 de julho, a Busca Social foi lançada com uma versão final para os usuários dos Estados Unidos.

 

As ferramentas de pesquisa tradicionais verificam a web para obter resultados que correspondem a palavra-chave ou palavras-chave, a Busca Social, como o Facebook explicou em janeiro, combina “frases (por exemplo: meus amigos em Nova York que gostam do Jay-Z ‘) para obter esse conjunto de pessoas, lugares, fotos ou qualquer outro conteúdo que está sendo compartilhado no Facebook. ”

 

A frase operatória é meus amigos, já que a Busca Social foi concebida e construída para trabalhar com informações que seus amigos compartilharam. Dito isto, no entanto, não há nada que impeça um usuário de pesquisar de forma mais ampla. Na verdade, os parâmetros escolhidos são limitados somente por sua imaginação – ou seus desejos, suas inclinações, suas motivações. Imagine um cara esportivo com meias pretas e uma repartição de meia-idade digitando “Fotos de adolescentes loiras que vivem perto de mim.” Imagine um ladrão conhecedor do Facebook que pesquisa “Plano de férias das pessoas da minha cidade.”

 

Embora você possa usar a Busca Social para praticamente qualquer coisa, uma busca além de seus amigos retornará apenas os dados de estranhos que compartilharam algo publicamente. Como Zuckerberg explicou em janeiro, a Busca Social é uma privacidade consciente e é inteiramente baseado nos dados que os usuários (você) compartilharam, antes dela ser introduzida. Suas coisas “públicas” ainda serão públicas, mas o material que você compartilha “somente com seus amigos” ainda estará acessível exclusivamente para seus amigos. Como prometido, quando o beta foi lançado, a versão de lançamento não provocou nenhuma mudança perceptível nas configurações de privacidade dos usuários.

 

Então, é tudo de bom, não é? Isso depende de três coisas.

 

Primeiro, o quanto você confia em seus (digamos) 865 “amigos” para manter em segredo a sua paixão pela música do Justin Bieber, sua mania de acumulação de cartões do Pokemon, e, ah, sim, as três vezes que você dirigiu embriagado.

 

Segundo, que fotos pessoais estão expostas, como uma dos seus 865 uploads em que você está vestindo um abajur e um pouco mais. Você pode prudentemente escondê-la de sua Timeline, mas isso não irá removê-la do carregador da Timeline. Isto significa que se alguém, digamos, o seu chefe – fizer uma Busca Social por fotos suas, vai aparecer uma com um abajur. (O que fazer? Bem, você pode desmarcar a foto, assim, ela não vai se materializar em resultados de busca regulares com o seu nome, embora ela certamente irá aparecer em outros critérios de pesquisa, ou você pode solicitar que o carregador a retire através de um botão que o Facebook fornece.)

 

Em terceiro lugar, o que você tem compartilhado publicamente. E isso nos leva a duas verdades inconvenientes:

 

1. A esmagadora maioria dos ferimentos à privacidade on-line – no Facebook ou em qualquer outro site. Como comentarista de tecnologia Tom Scott aconselha: “Se alguma coisa ficaria estranha se ela fosse colocada em uma tela na Times Square, então, não a coloca no Facebook.”

2. Apesar das garantias de privacidade do Facebook, a Busca Social torna quase tudo mais facilmente, amplamente, e completamente acessível. Pense no Facebook como um índice de massa e maciçamente abrangente das preferências humanas ligadas aos seres humanos específicos. A Busca Social permite que você, permite que qualquer pessoa, pesquise por nome, por preferência e por ambos.

 

Então, aqui está o que você pode fazer. Comemore o lançamento da Busca Social fazendo uma auditoria da sua privacidade pessoal. Dê uma olhada no que você compartilha publicamente, o que você compartilha apenas com seus os amigos e o que você compartilha com ninguém. Faça isso agora.

 

Torne-se pró-ativo com a sua privacidade. Reveja suas ações, filtre suas mensagens, edite suas fotos – e, sim, reavalie sua lista de amigos do Facebook. (Você realmente precisa de todos 865?) Navegue e altere as configurações dos aplicativos, e defina as suas notificações do Facebook para alertá-lo, por exemplo, quando alguém te marca em uma foto.

 

Verifique suas configurações de privacidade. Em janeiro, a CIO.com publicou “4 configurações de privacidade do Facebook para o Ano Novo“. É como um curso de curta duração para utilizar o Facebook. Preste atenção especialmente no item 2, que diz como rever posts antigos usando o seu Registro de Atividades.

 

Finalmente, honre a sua marca pessoal online. Isso significa, jogar no ataque com a sua reputação, postando mensagens positivas e fatos verdadeiros sobre você. Se você não proclamar ao universo online quem você é, você tem “amigos” em abundância que farão isso por você. Quer você goste ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *