Ataques durante a pandemia do Covid 19

Ataques durante a pandemia do Covid 19

Segurança da informação

Os Espiões, hackers e terroristas estão aumentando sua atividade on-line, durante a pandemia de coronavírus que visa prejudicar a Austrália e em outros países no mundo todo assim como o Brasil, alertou o chefe do serviço de inteligência doméstica do país .
Cibersegurança
Cibersegurança
O diretor geral da Organização de Inteligência de Segurança Australiana (ASIO), Mike Burgess, também criticou os gigantes da tecnologia por resistir aos pedidos das autoridades para acessar informações on-line.
Burgess, falando em um podcast com o Instituto de Administração Pública da Austrália, declarou que a Austrália estava “tristemente menos segura “, com as ameaças que existiam antes do coronavírus “ainda muito conosco e, é claro, temos o grande problema de lidar com a própria COVID “.
 
“Obviamente, vimos mais pessoas em casa e, como estão em casa, estão on-line, e vimos um aumento de conversas no mundo on-line quando se trata da disseminação da ideologia extremista tentando radicalizar as pessoas”, ele disse.
Os serviços de segurança e as agências policiais também registraram mais crimes cibernéticos, enquanto a espionagem “não desapareceu – em alguns casos, as coisas ficaram mais ocupadas, especialmente no espaço on-line”.
“E quando você está on-line, existem hackers … então é um mundo de oportunidades para criminosos, estados-nação e extremistas”, disse Burgess.
 
O governo federal tem ponderado em entregar às agências de segurança e à polícia novos poderes para acessar conteúdo criptografado de ponta a ponta para combater criminosos on-line, se os gigantes da tecnologia não cooperarem mais em pedidos de informações.
 

A importância da Ciber Segurança

 
Burgess disse que as comunicações privadas e a segurada informação como Anti Virus e proteção de dados em Cibersegurança  são uma algo essencial nos dias de hoje, porque cada vez mais estamos disponibilizando nossas informações pessoais tanto para a empresas como para serviços , mas houve um problema quando as empresas se recusaram a entregar dados criptografados quando a ASIO tinha um mandado.
 
O ministro dos Assuntos Internos, Peter Dutton, já havia pedido à Apple e ao Facebook que não relançassem seus aplicativos com criptografia de ponta a ponta que nega às agências policiais o acesso às comunicações em investigações criminais.
 

 

Comments are closed.