Ih, a Internet caiu…

Ih, a Internet caiu…

 

É, não está fácil viver sem internet! Ainda mais no trabalho, quando boa parte dos sistemas de gestão é on-line ou de alguma forma conectado à internet. Aliás, para a grande maioria das empresas, nem dá para emitir nota fiscal sem internet.

 

Felizmente, existem hoje inúmeros provedores de banda larga nas principais regiões do país, e é uma realidade nas empresas ter mais de um provedor de internet para evitar problemas. Pessoalmente, eu recomendo que as empresas tenham duas conexões usando tecnologias diferentes para garantir. Pode ser uma conexão ADSL e uma utilizando TV a cabo (minha preferência), duas conexões ADSL de operadoras diferentes ou, se necessário, uma banda larga terrestre e uma conexão 3G.

 

Mas como gerenciar estas conexões no ambiente da empresa?

 

Se você tem um único computador ligado na internet, não chega a ser algo complicado mudar a conexão internet se a sua preferida estiver ruim, mas se você está na rede da empresa existem alguns complicadores, como por exemplo:

 

  • Qual é o endereço IP e a senha do roteador Wi-Fi? A gente nunca sabe estas coisas quando precisa…
  • Como configurar cada conexão neste modelo de roteador? Alguém sabe a senha do discador?
  • Será que a conexão “backup” está boa mesmo? Afinal ela estava desligada até o momento em que a conexão principal caiu e pode estar ruim há muito tempo.

 

Para solucionar estes problemas, existem roteadores com função de múltiplas conexões internet que se encarregam de direcionar o tráfego para a conexão que estiver estável e assim garantir o acesso em caso de falha de uma conexão. Eles são caros e, em sua maioria, pouco flexíveis, ou difíceis de configurar. Nas empresas com uma infraestrutura de TI maior, eles já fazem parte do cenário, junto com os switches e os servidores.

 

Por outro lado, quem utiliza o Winconnection 7, além de todo o controle de acesso e dos relatórios que ele gera, pode ter quantas conexões quiser para a internet e conectar todas ao mesmo tempo. Se uma conexão cair, os acessos que iriam através desta conexão são redirecionados. Mais que isso: o administrador pode ser avisado por e-mail ou por SMS sobre o ocorrido.

 

E não precisamos esperar uma conexão cair para sermos beneficiados: se as duas (ou várias conexões) estiverem no ar, pode-se agregar as velocidades de acesso e ter uma velocidade resultante muito maior (caso as conexões tenham qualidade de acesso comparável).

 

Também é possível criar afinidades entre determinados serviços ou sites e uma conexão específica. Isto, aliás, é uma ótima característica para quem tem uma conexão dedicada com IP fixo e uma outra ADSL para contingência.

 

Uma coisa é certa: poucas ações darão ao gestor de TI mais conforto do que saber que a internet não vai cair. É um investimento que se prova eficaz em pouco tempo e eu recomendo a todos que o façam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *