Uma visita ao Centro das Atenções dos Laboratórios de Vírus da AVG

Uma visita ao Centro das Atenções dos Laboratórios de Vírus da AVG

“artigo retirado do AVG Official Blogs”

por Tony Anscombe

 

Como eu trabalho no escritório da AVG em São Francisco – Califórnia, é um prazer visitar a casa da empresa em Brno, na República Tcheca, onde tudo começou.

 

Há dois anos e meio, vários escritórios da AVG na cidade tcheca foram reunidos em um único local e a equipe agora está localizada em um escritório elegante e moderno que tem todos os enfeites de uma empresa de tecnologia moderna: mesas de sinuca, pebolim e até mesmo uma praia interna.

 

Há muitos departamentos localizados aqui e estou visitando nossos laboratórios de vírus com um número de jornalistas europeus que estavam em uma viagem “por trás das cenas” para conhecer o coração por trás dos produtos AVG. E quando eu digo por trás das cenas, eu realmente quero dizer isso.

 

Nós não temos laboratórios de marketing com telas extravagantes e mapas do mundo, mostrando os surtos de vírus, como alguns fornecedores tem. O que os jornalistas testemunharam hoje é engenheiros e pesquisadores em seu ambiente nativo, trabalhando na vida real e com as ameaças de malware em tempo real.

 

O primeiro a abordar os jornalistas foi o Diretor de Engenharia da AVG, que explicou profundamente os componentes que fornecem os elementos essenciais do mecanismo de proteção que é um componente fundamental da linha de produtos AV. Eles variam entre o mecanismo de verificação até a proteção de identidade e de intrusão.

 

O próximo a falar foi o Chefe dos Laboratórios de Vírus que revisou o histórico das ameaças. Com uma linha de tempo fascinante que mostra a evolução do malware a partir de scripts feitos por garotos que ganham alguns dólares para escrevem código até os criminosos cibernéticos mais sofisticados, com uma equipe de apoio que funciona como uma organização global.

 

Em minha mente, a escrita de um malware é um negócio que parece simplesmente tão errado: comprar um script, adicionar algumas variantes e um contrato de suporte e fazer o check-out de compra. Não é tão simples assim, mas não está muito longe disso, uma indústria crescente no lado escuro e destrutivo.

 

Um exemplo disso pode ser encontrado no AVG Q4 Threat Report onde destacamos um exemplo de um malware escrito por um jovem de apenas 11 anos (agora 12). Isto é chocante, mas não surpreendente, ao mesmo tempo.

 

Com duas apresentações informativas atrás de nós e os nossos visitantes participando e questionando nossos palestrantes, o tema mudou para ameaças móveis com um debate conduzido por um de nossos pesquisadores de Android.

 

O setor de telefonia móvel está emergindo em um ritmo incrível e os criminosos que visam os smartphones estão se tornando muito sofisticados. A ameaça não deve ser subestimada. As estatísticas que foram recolhidas sobre as detecções móveis despertou o interesse imediato.

 

A complexidade e a simplicidade de alguns malwares móveis são incríveis. Interceptar o código de autenticação em um dispositivo móvel e sequestrar uma conta bancária mostra que isso não está sendo feito por esporte, mas para o ganho financeiro real.

 

Temos tendência em pensar que os nossos dispositivos móveis tão fácil e simples de usar tornaram o gerenciamento de nossas vidas mais fácil e mais eficiente – às vezes nos esquecemos da quantidade de informação vital que armazenamos e que não protegemos adequadamente, por exemplo, você sairia de casa hoje e deixaria a porta da frente destrancada? Provavelmente não, por isso, devemos garantir que o dispositivo móvel também está protegido.

 

Um passeio ao redor do escritório para ver onde os diferentes elementos da equipe de pesquisa trabalham levou a uma demonstração pontual de uma imagem que é utilizada para representar graficamente uma família de vírus relacionada. Eu não sei como conseguimos colocar a plateia toda amontoada no escritório da equipe de algoritmos para a demonstração, mas nós conseguimos, e o líder da equipe estava orgulho de mostrar o que eles estavam fazendo em tempo real.

 

Eu estive em nossos laboratórios inúmeras vezes e tenho contato contínuo através de muitos e-mails com a nossa equipe de laboratórios de vírus que nós apresentamos aos jornalistas, mas eu ainda estou admirado e espanto com o eles fazem todos os dias da semana. Obrigado, rapazes! Vocês trabalham arduamente para tentar fazer do mundo digital um lugar mais seguro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *