Por que as pequenas empresas não estão se protegendo?

Por que as pequenas empresas não estão se protegendo?

“artigo retirado do AVG Official Blogs”

por Mike Foreman

 

Toda empresa precisa estar segura e todo empreendedor entende isso. Então, por que tão poucas pequenas empresas levam a sério a proteção de sua tecnologia?

 

Há uma série de razões para isso, mas para muitos isso é pura complicação. Não que as empresas que oferecem sistemas de segurança tenham configurado seus produtos de forma que você precise de um diploma em computação para configurá-los adequadamente. Felizmente em muitos casos (mas não todos), isso é passado.

 

Não. O preço que é muito complexo para muitos. É um pouco como o mercado de telefonia móvel era alguns anos atrás. Todos compreenderam que telefonia móvel era uma grande ideia, então eles estudaram os preços das tarifas dos telefones e acabaram percebendo que, na verdade, não importava o preço de lista, pois ninguém sabia o quanto valia realmente um “megabyte” de dados. No início de 2000, pouco antes da era do smartphone realmente surgir, as empresas de telefonia lançaram os modelos tarifários que existem hoje em dia.

 

A área de software de segurança está apenas chegando a um lugar semelhante. Todo mundo quer o sistema ideal para a sua empresa, mas no momento não há nada adaptado corretamente no mercado. Por enquanto há algo reduzido a partir de um “sistema corporativo” – um sistema que visa empresas que empregam milhares, talvez dezenas de milhares de pessoas, com um administrador de software em tempo integral que compreende o que ele ou ela está fazendo na frente de uma tela muito complexa. Reduzir a oferta para uma pequena empresa com, digamos 20-100 empregados, não é simples. Você tende a acabar com um monte de funções e ferramentas do software de que você não precisa, e embora os técnicos que o desenvolveram estão convencidos de que é fácil de operar, não é.

 

Depois, há a estrutura de preços (essas coisas sempre têm uma estrutura, em vez de um preço, você vai perceber). Continua a ser uma versão reduzida de um esquema de preços da empresa, com base em um valor fixo de desktops e laptops e de licença por usuário.

 

Aqui está a novidade, então. As empresas reais não trabalham mais dessa forma. Pedir ao fundador de uma nova empresa prever quantas pessoas ele ou ela vai empregar em médio prazo ao invés de um curto prazo, com a economia mundial irregular como tem sido é difícil. É por isso que para a computação utilitária entregar como e quando necessário para tantas pessoas o necessário e não a mais, é um conceito muito importante para o crescimento do negócio.

 

Isso depende, em parte, garantir que os componentes de uma empresa adquira valor nada mais, nada menos do que os componentes de que precisa. Então, se alguém se sente desconfortável com a administração de sua própria tecnologia, não há problema. Eles podem trabalhar com um terceiro que irá fazê-lo remotamente. Se eles têm uma força de trabalho flexível que trabalham em projeto, também não é problema. Eles podem ampliar o número de desktops protegidos em um mês e reduzi-lo novamente.

 

O objetivo é garantir que as pessoas tenham o propósito embutido na tecnologia para pequenas empresas o tempo todo, mas também que eles possam ter certeza de que os custos são simples. As empresas querem pagar para as funções que elas usam e para a força de trabalho que as usam, e não a mais. Uma reflexão justa e precisa sobre isso, serve todas as partes bem – e é isso tudo que a nova geração de produtos de segurança e serviços da AVG irá oferecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *