Oito em cada dez brasileiros não bloqueiam smartphone com senha, diz pesquisa

Oito em cada dez brasileiros não bloqueiam smartphone com senha, diz pesquisa

Uma medida de segurança simples e que vem “de fábrica” nos smartphones é ignorada pela maioria dos brasileiros. Cerca de 86% dos donos de celulares inteligentes não usam o bloqueio da tela por senha, conforme indica um estudo da empresa de segurança AVG Technologies.

 

QUAIS DADOS NOS DISPOSITIVOS MÓVEIS PREOCUPARIAM MAIS SE VISTOS POR DESCONHECIDOS?

Fotos da família e amigos 32%
Senhas e informações financeiras 21%
Fotos íntimas 21%
Contatos telefônicos 9%
Imagens de documentos 9%
Informações pessoais (e-mails, notas, documentos) 1%

 

Apesar de a maioria dos entrevistados ignorar esse recurso de segurança, sete em cada dez deles disseram conhecer os riscos aos quais os smartphones estão sujeitos. Já no caso dos tablets, o bloqueio por senha é feito por quase metade dos usuários (46%).

Em relação ao compartilhamento da senha, quando usada, sete em cada dez brasileiros disseram que não costumam fazer isso. Oito em dez também afirmaram não armazenar informações financeiras nos smartphones ou tablets. No caso do pequeno grupo que armazena esses dados (18%), seis em dez tomam alguma precaução especial para manter as informações bancárias seguras.

Perguntados sobre quais dados causariam maior preocupação caso fossem vistos por desconhecidos, os brasileiros apontaram em primeiro lugar as fotos da família e amigos (32%), seguidas de senhas e informações financeiras (21%), fotos íntimas (21%) e contatos telefônicos (9,38%).

Outro dado que mostra a consciência “parcial” dos usuários brasileiros em relação à segurança em dispositivos móveis é o de que 76% deles sabem que esses aparelhos podem ser alvos de cibercriminosos. Porém, mais da metade não sabia que, enquanto navegam, também podem ter dados rastreados nos dispositivos por empresas de comércio online e de telefonia.

“O conhecimento sobre alguns dos riscos já é um passo bastante positivo. O próximo é a compreensão sobre as diversas modalidades de infecção em dispositivos móveis e as formas de evitar esse tipo de incidente”, alerta Mariano Sumrell, diretor de Marketing da AVG no Brasil.

A pesquisa foi feita no Brasil com 1.023 usuários durante a segunda quinzena de janeiro deste ano. Estados Unidos, Alemanha, França e Reino Unido também participaram do estudo.

 

Via UOL Tecnologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *