Outsourcing: aprendendo com as médias empresas

Outsourcing: aprendendo com as médias empresas


Enquanto a maioria das empresas de médio porte se move lentamente para a terceirização de TI em comparação com grandes companhias, uma pesquisa recente mostra que elas podem registrar mais benefícios em relação às maiores ao passar seus serviços de TI para as mãos de terceiros. Uma
pesquisa realizada com 227 usuários de terceirização conduzido pela consultoria HfS Research e pela London School of Economics, identificou que 63% das médias empresas adeptas do outsourcing disseram que a iniciativa foi bem-sucedida para conquistar redução de custos.

 

Nas grandes companhias, 44% afirmaram que atingiram esse objetivo.

Outro dado da pesquisa aponta que 42% das médias usuárias de terceirização obtiveram sucesso com questões regulatórias e de compliance. Nas grandes, o número foi de 30%.

Além disso, 33% das médias companhias disseram que a terceirização viabilizou eficácia nas operações globais. Já nas maiores, esse percentual foi de 18%. No quesito prover novos processos de negócios, das menores, 30% apontaram que com a ajuda de terceirização essa tarefa foi agilizada, número superior quando comparado aos 17% das grandes.

 

O resultado desperta uma pergunta. Por que as empresas menores registram mais ganhos com outsourcing? O fundador da HfS, Phil Fersht, responde. “Organizações de médio porte têm de agrupar mais processos para torná-los grandes o suficiente para justificar a atenção dos principais fornecedores de serviços”, diz. 

Por outro lado, as grandes, aponta, com receita anual de 3 bilhões de dólares, tendem a terceirizar atividades ao longo de um período que se estende por anos. Nessa cronologia, explica, talvez o help desk seja o primeiro, seguido pelo teste de aplicativos, desenvolvimento de aplicativos e, finalmente, infraestrutura.

 

“É um passo de cada vez. As menores não costumam fazer isso”, diz. “Raramente, as grandes organizações optam por uma abordagem ‘big bang’ de terceirização, ou seja, mais agressiva”, avalia Fersht. 

Companhias de médio porte que adotaram outsourcing como parte de suas estratégias têm seus próprios problemas, como sistemas legados e falta de talentos em TI. Mas por meio da terceirização é possível eliminar obstáculos internos.

“Ter fornecedores de serviços qualificados para assumir as operações tem sido, em geral, uma experiência positiva para eles”, diz Fersht. “Embora organizações de médio porte não consigam atingir o mesmo nível de redução de custos em comparação com as grandes, elas claramente desfrutam dos benefícios do acesso a tecnologias de ponta e especialistas em processos”.

Para os fornecedores de outsourcing que tradicionalmente focam nas grandes, Fersht dá a dica.

 

“O mercado de médias empresas é um campo de testes potencial para criar rápidas implementações e modelos padronizados de terceirização.” 

”Os provedores precisam atacar esse setor para desenvolver um portfólio equilibrado de clientes”, finaliza Fersht.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *