Onde estão os datacenters nas nuvens?

Onde estão os datacenters nas nuvens?

Oferecendo mais, exigindo menos: Financeiras e Bancos devem ser os principais termômetros tecnológicos

 

Uma das grandes questões sobre a computação na nuvem é a aparente boa vontade da indústria de TI em estimular a imagem subjetiva dos bancos de dados na nuvem. Eles dizem: “Está lá. A nuvem fornece os dados e o processamento de aplicações como e quando você precisar. Não se preocupe em montar uma infraestrutura de TI, utilize o nosso serviço de hospedagem”.

 

Mas espere um momento, isso não é realmente o que gostaríamos de escutar, não é? Toda essa flexibilidade “no ar” soa muito bem, mas os negócios de hoje, pequenos ou grandes, não querem saber apenas de qual lado do pão a manteiga está, mas também, onde está o pote da manteiga. Pensando mais profundamente, também gostariam de saber se as vacas estão felizes essa semana.

 

Então, para chegar até a Terra com fatos reais, vamos dar uma olhada no que a nuvem realmente é.

 

A nuvem – ou de maneira mais precisa, os servidores nos datacenters que executam o software para aplicações baseadas na nuvem para trabalhar pela internet, tem um endereço físico.

 

A McAfee e o Rackspace construíram datacenters nas nuvens em Londres – juntamente com suas bases americanas. De acordo com Data Center Knowledge dot.com, a Amazon armazena seus bancos de dados em Amsterdã, Dublin, Frankfurt, Londres, Hong Kong, Cingapura, Tóquio e em mais oito localidades pela América.

 

Bem, não vamos usar o resto do blog para simplesmente listar as empresas e a localização dos seus datacenters. Vamos assumir que o Google, Microsoft, Salesforce.com e qualquer outra empresa possui um endereço físico para nos fornecer serviços nas nuvens quando precisarmos.

 

Um ponto para tentarmos compreender é… por que essas empresas constroem em diferentes localidades pelo mundo? Se a nuvem funciona de maneira tão global quanto a internet, por que então, a Google (ou qualquer outra), não encontra o terreno mais barato disponível e constrói um enorme complexo para esses serviços?

 

A resposta é complexa. Existem problemas de latência experimentados por algumas aplicações de certos softwares (particularmente com grande volume de transações), que dependem da localização da nuvem. Além disso, existe o fator geográfico a ser considerado; regras governamentais de regulamentação e cumprimento relativas a dados na Europa são diferentes das dos EUA e do Extremo Oriente. Uma análise deste tópico é uma outra história, para outro dia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *