Acesso à informação por meio da nuvem cria uma ‘economia do conhecimento’

Acesso à informação por meio da nuvem cria uma ‘economia do conhecimento’

“artigo retirado do AVG Official Blogs”

por Adrian Bridgwater

Há um ditado bem conhecido que sugere que “Informação é Poder”. Isso tem se demonstrado cada vez mais verdade em nosso mundo centrado por dados, onde agora vivemos em estreita proximidade com uma grande quantidade de dispositivos conectados para laptops, tablets e smartphones.

 

“Acesso à informação é poder”

Talvez devêssemos atualizar este ditado, embora a informação seja (ainda) o poder, hoje o ditado ficaria melhor se fosse “Acesso à Informação é Poder”.

 

Então, o que queremos dizer com esta afirmação? Sabemos da importância de nossos dados hoje melhor do que nunca conforme o analisamos e processamos através de bases de dados e aplicações de software. Mas, dada a conectividade móvel, que agora existe, precisamos de acesso crítico a esta informação, para sermos capazes de descobrir o valor dos dados.

 

Simplificando, se processamos os dados para melhorar o nosso conhecimento, então temos de ser capazes de obter acesso seguro a ele de qualquer lugar – e este é o lugar aonde a nuvem entra.

 

A computação em nuvem propõe tirar o fardo de se investir em recursos físicos de hardware (tais como servidores potentes) para fornecer o armazenamento e software pela Internet como um serviço.

 

Esta “virtualização” da TI tem um impacto nas empresas que não precisam mais abrigar o hardware físico que contém seus dados, e também impacta os trabalhadores que devem agora usar log seguro em controles para ter acesso.

 

De repente, nos é dado um portal e uma senha de logon única para centralizar a todos das nossas tarefas de computação. Em teoria, podemos acessar esses serviços a partir de qualquer lugar, por isso,  o verdadeiro poder de “conhecimento do empregado”,  é o que tem o controle da informação e destreza na ponta dos dedos.

 

Rígidos controles necessários para novas nuvens.

Mas, como os trabalhadores da computação na nuvem, construíram esta nova economia do conhecimento, precisamos se manter próximos às tecnologias single-sign-on (ou SSO). Temos de garantir que, quando a autenticação é aprovada para o acesso do usuário, uma empresa pode obter eficiência e economia de custos – em vez de abrir um risco de segurança e uma potencial perda de dados.

 

Como o consórcio global de padrões de TI Open Group coloca, “Single sign-on reduz o erro humano, um componente importante de falha no sistema e é, portanto, altamente desejável, mas difícil de implementar.”

 

Estas tecnologias estão acontecendo agora, implementação e aplicação já estão em andamento. Como podemos controlar o acesso seguro a economia de conhecimento potencial da nuvem é o que define os nossos próximos passos e se vamos ficar seguros ou não.

Comments are closed.